Entrevista

Pastoral Vocacional – Arquidiocese do Rio de Janeiro

Irmã Maria Cecília Tostes Malta, NDS

Irmã Maria Cecília, há quantos anos você trabalha com vocações?
Desde jovem professa convivi com vocacionados. Em 1979 recebi, de Dom Romer, a missão de coordenar a Pastoral Vocacional da Arquidiocese do Rio de Janeiro com seus Vicariatos, Foranias e Paróquias. Foi um começar do zero, porém muito gratificante.

Em que sentido você diz “gratificante”?

No período da crise vocacional do após Concílio Vaticano II, grande número de sacerdotes e religiosos polemizavam questões doutrinárias, estruturas conventuais e compromissos com a Igreja; acabando por abandonar a vida consagrada. Isto aconteceu em todas as partes do mundo.

Hoje, são mais de duzentos os Seminários, Mosteiros, Congregações, Institutos e Movimentos que receberam nossos candidatos. É claro que nem todos permanecem, mas o saldo é bastante positivo.

É com muita alegria que revemos os que nos visitam. Ficamos também felizes quando nos chegam convites de ordenações e/ou de profissões religiosas de jovens com os quais havíamos perdido contato.

Como funciona o Centro Vocacional da Arquidiocese?

O Centro Vocacional ocupa duas salas no prédio da Mitra, e é por mim dirigido. Conta também com o trabalho de uma assessora, de uma secretária contratada e de voluntários esporádicos. Está aberto de 2ª a 6ª feira das 9:00 às 18:00 horas.

Já dispomos de centenas de vídeos, DVD(s), slides sonoros, cartazes, folders, livros, folhetos vocacionais, etc. Este material presta serviço às pastorais e movimentos do Rio, de dioceses vizinhas e, por vezes, até mesmo a pastorais de outros Estados e Países, atraídas pelo site da Pastoral .

Participo, o quanto possível, de eventos vocacionais dos vicariatos, paróquias e outros. Vários encontros de diferentes tipos e tamanhos, são também promovidos por nós. Dentre eles os dos 3º domingos no Colégio Sion.

Considero de especial importância o relacionamento que procuramos estabelecer com as famílias dos vocacinados. Além das conversas pelo telefone (sobretudo com as mães), fazemos visitas domiciliares. As famílias são sempre convidadas a participar dos nossos encontros com os filhos.

Que vem a ser este grupo de jovens que se reúne todos os 3º domingos no Sion?

Trata-se do “Encontro de Acompanhamento e Convivência”, também vinculado ao Centro Vocacional. Funciona mensalmente em nosso Colégio há mais de 25 anos, porém, devido às grandes distâncias e o preço das passagens, tenho lutado para descentralizar nossas reuniões.

Como surgiram, de modo geral, os plantões de massa que você realiza aqui no Rio?

Certa ocasião, na capela, veio-me, a idéia de montar um plantão vocacional da Arquidiocese no retiro que a Renovação Carismática Católica promove durante os três dias de Carnaval, atingindo não apenas seus membros, mas milhares de outros participantes, do Rio e das dioceses vizinhas.

Reagi intimamente contra esta idéia que me assaltava e disse para Deus:”Nada de plantão. Quero passar os feriados do Carnaval com minha mãe; preciso descansar”.

Não houve jeito! Como só faltavam poucos dias para o Carnaval, tivemos de nos organizar às pressas, e de modo muito rudimentar, para inaugurar os “benditos plantões vocacionais”!

Duas vezes por ano montamos também “nossa tenda de atendimento” nos encontrões bi-anuais do “Vem e Segue-me” que conta com milhares de jovens de diferentes pastorais e movimentos.

Nos plantões faço várias mini-palestras pois que os grupos se sucedem. Tenho acesso ao microfone da assembléia geral e atendo na medida do possível, os que querem conversar, qualquer que seja o “estado de vida” que desejam assumir. Sou auxiliada neste trabalho por uma equipe.

Como é feito o trabalho numa diocese tão grande como a nossa?

Além da coordenação geral da pastoral vocacional temos equipes atuantes em cada um dos sete vicariatos territoriais da Arquidiocese para trabalhar junto às Paróquias.

Como algumas jovens chegam a optar por Sion?

Quando alguma jovem manifesta vontade de ingressar em Sion ela continua a caminhada com o grupo e com os acompanhamentos individuais; estes passam a ser mais amplos permitindo-lhe conhecer melhor a Congregação: carisma, espiritualidade bíblica, como somos e vivemos, obras apostólicas, algumas casas da província, etc.

Há um período de experiência, em comunidades, que antecede o ingresso no postulado.

É claro que fico feliz quando uma candidata ingressa em Sion, mas este seu passo precisa ser consciente e muito livre. O discernimento é feito, de ambos os lados, com grande abertura e sem precipitações.

Agradeço-lhe por responder aos nossos questionamentos. Se alguém quiser entrar em contato com você, onde a poderá encontrar?

No Colégio Sion, onde resido, à Rua Cosme Velho, 98 – R.J. CEP: 22.241-090 – Telefone: (021) 2556-6477.
No Centro Vocacional da Arquidiocese, à Rua Benjamin Constant, 23 sala 506 – Glória (em frente à Estação do Metrô) – R.J. CEP: 20.241-150 – Telefones: direto 2224-8420; geral do prédio: 2292-3132 ramais 418 ou 438.
E-mail: pastoralvocacional@arquidiocese.org.br

Endereço

Rua Cosme Velho, 120
Rio de Janeiro - RJ

CEP: 22241-090